Cabezón Advogados: desde 1979 defendendo os interesses de seus clientes

Atuação

Pessoas Jurídicas

Pessoas Jurídicas

Nosso escritório tem por objetivo propiciar a Empresários e Gestores de Grupos Societários todos os meios necessários para bem atendê-los nas diversas questões relacionadas ao direito empresarial.

Pessoas Jurídicas

Nosso escritório tem por objetivo propiciar a Empresários e Gestores de Grupos Societários todos os meios necessários para bem atendê-los nas diversas questões relacionadas ao direito empresarial.

Cabezón Advocacia e Consultoria Jurídica

Atuação

Temos como foco principal, dentre outros:

  • Avaliação de riscos e responsabilidade contratuais e extracontratuais;
  • Orientação na estruturação de negócios e contratos;
  • Análise preventiva ou preparatória de ações judiciais;
  • Confecção, Revisão e Pareceres de Contratos Comerciais, Consumeristas e Civis;
  • Atuação em procedimentos Recuperacionais e Falimentares; *
  • Suporte Jurídico a E-Business/ E-commerce;
  • Avaliação de Publicidade e Oferta de Produtos e Serviços;
  • Orientação e Suporte a RH (contratações e despedidas);
  • Direito Societário;
  • Consultas tributárias em geral;
  • Adequação das relações trabalhistas às convenções coletivas da categoria;
  • Recuperação de créditos (notificações, ações de cobrança, busca e apreensão, reintegração de posse, execuções, monitórias etc)
  • Indenização Moral e Material por atos ilícitos (Defesas e Proposituras);
  • Defesas Administrativas junto a Administração Pública e Órgãos de Proteção ao Consumidor;
  • Atuação em procedimentos trabalhistas, promovendo defesa e acompanhamento em audiências;
  • Procedimentos administrativos Tributários (recursos, reclamações, etc); e
  • Outros procedimentos e atuações pertinentes ao ramo.

 

* desde que não seja em Comarca em que atua exercendo a função de Administrador Judicial

Mais informações

Administração judicial

A Administração Judicial é um encargo conferido pelo Poder Judiciário a fim de que um especialista de confiança do Juízo possa desenvolver seus préstimos profissionais visando o bom andamento do processo.
Apesar do nome “administrador” não necessariamente o profissional designado pelo Magistrado tem formação em Administração de Empresas, pode ser que ele seja advogado, contador ou mesmo uma Pessoa Jurídica que contemple em seus quadros essas hipóteses, como é o caso de nosso escritório.
Nos procedimentos concursais, ou seja, em caso de Recuperação Judicial ou Falência, o papel do Administrador é primordial para a obtenção dos resultados almejados e de ofertar maior transparência nos autos.
Pelo teor do art. 22 da Lei nº. 11.101/05 temos que esse profissional é nomeado para desenvolver a fiscalização das atividades da Devedora (empresa que está em Recuperação Judicial) ou desempenhar todos os encargos para a formação do ATIVO no procedimento falencial (reunir bens para pagar os credores), representando a Massa e procurando preservar o direito dos credores.